ENTRE EM CONTATO

Thiago Barbosa Gomes

Psicólogo - CRP 16/4210 

(27) 99708-3107

tbg.gomes@gmail.com​

Horários para atendimento:
Quinta (manhã e tarde, em consultório)
Sexta (manhã e tarde, fora do consultório)

Receba meus artigos no seu e-mail

criado por Organika Mídias - 2019

Como conversar com alguém que deseja a própria morte?

O suicídio é um tema que precisa das palavras certas no momento certo. As técnicas para se lidar com uma situação de tentativas de suicídio são prova disso. A palavra se torna um recurso muito poderoso e a urgência é usá-las em favor de uma vida que parece estar a beira de um precipício.


Segundo dados da OMS (2014), ele é "é responsável por mais mortes a cada ano do que todas as guerras e outras formas de violência interpessoal juntas”. Isso significa que a cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio em algum lugar do planeta. Estamos na campanha do Setembro Amarelo e hoje, dia 10 de setembro, é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.


O suicídio é um fenômeno humano que precisa ser entendido com muita sensibilidade e atenção. Este artigo foi feito para ajudá-lo a saber como agir em situações em que alguém considera o fim da própria vida.


Como entender o suicídio?


As pesquisas mais atuais afirmam que para entender o suicídio devemos considerar não apenas aspectos psicológicos e individuais como também o meio em que a pessoa se encontra, a saúde familiar e sua condição financeira, o momento atual de vida do sujeito e também características culturais, sociais e econômicas do país em que vive. Enfim, todos as peças que compõem o viver de alguém.


Nos termos da Karina Okajima, psicóloga e suicidologista, o suicídio é o ápice de um processo de morrência no qual a pessoa já vinha definhando a percepção de si, de seus potenciais e capacidades como ser humano. Por isso que é preciso enxergar cada caso em suas particularidades.


O que causa o suicídio?


Muito acontece até se chegar a uma decisão tão extrema de tirar a própria vida. Porém, o suicídio não é consequência única e exclusiva de transtorno psiquiátrico como muito se divulga. Veja o exemplo das mulheres muçulmanas que, tendo seus direitos humanos completamente ignorados, preferem dar fim a própria vida. O ponto é: o suicídio é resultado de intenso sofrimento emocional.


Quando reduzimos essa decisão radical a consequência de um transtorno psiquiátrico responsabilizamos de um jeito muito desnecessário e intenso alguém que já vem sofrendo anteriormente. Neste artigo aqui, você entenderá melhor sobre o funcionamento mental de uma pessoa nessa condição.


Como conversar com alguém que deseja a própria morte?


O medo de contribuir com o suicídio ao conversar com alguém que está pensando em se matar pode atrapalhar. Antes de tudo, é importante abandonar qualquer pré-conceito a respeito e encarar o desejo de morrer como algo genuíno e real - por mais desconfortável que possa ser.


É importante oferecer um espaço de escuta sem julgamentos, onde a pessoa sinta segurança para se expressar. Elogios e aconselhamento religioso tem efeito reverso, portanto deixe para usá-los em outro momento mais a frente. Após isso, é imprescindível encaminhar a pessoa para tratamento psiquiátrico e psicológico. Familiares e amigos podem contribuir acompanhando nas consultas.


É importante que o sujeito se sinta acolhido, amparado e seguro. Porém, isso se estende para além de um momento de escuta. É algo que deve ser exercitado ao longo de seu tratamento, dia a dia.


Centro de Valorização da Vida - uma alternativa


O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuita pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail e chat 24 horas por dia, todos os dias da semana. ⠀ A ligação para o CVV é por meio do número 188, feitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular. Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais outras informações a respeito deste assunto tão urgente.


_________________________


* Todas as informações diluídas neste artigo não são expressão de mera opinião pessoal. Elas vieram de artigos, publicações, escritos e plataformas embasadas técnica e cientificamente, a saber:


Postcolonial suicide among Inuit in Arctic Canada

Suicidal behaviors among Muslim women. Patterns, pathways, meanings, and prevention. Crisis

Tentativas de suicídio e suicídio em município de cultura pomerana no interior do estado do Espírito Santo

https://comportamentoesociedade.com/

47 visualizações
  • Instagram
  • Facebook