ENTRE EM CONTATO

Thiago Barbosa Gomes

Psicólogo - CRP 16/4210 

(27) 99708-3107

tbg.gomes@gmail.com​

Horários para atendimento:
Quinta (manhã e tarde, em consultório)
Sexta (manhã e tarde, fora do consultório)

Receba meus artigos no seu e-mail

criado por Organika Mídias - 2019

O sofrimento que faz pensar em morrer: como é isso?

Atualizado: 12 de Set de 2019


O suicídio é um fenômeno humano que precisa ser entendido com muita sensibilidade e atenção. O desejo de morrer, embora real, gera desconforto em quem o escuta. Neste artigo você lê sobre como entendê-lo e como conversar com alguém que deseja o fim da própria vida.


O desejo suicida é algo muito particular, atravessado por vários outros fatores. Por isso, é preciso compreender o pensamento de uma pessoa que se encontra neste intenso estado de sofrimento emocional para saber como abordá-la e contribuir para que continue seguindo. O foco deste texto é esse.


Como é o funcionamento mental no suicídio?


O funcionamento mental de uma pessoa que considera o fim da própria vida gira em torno de três sentimentos: "não aguento", "não tem jeito" e "não tem fim". Ou seja, desmotivação, desesperança e desespero. Não há senso de enfrentamento. A tolerância ao sofrimento está zeradas, assim como a crença em si mesmo.

Nesta condição, passado e presente são causas de dor enquanto que o futuro é sombrio e sem planos. As causas disso variam de pessoa para pessoa. Nem sempre transtornos mentais estão envolvidos - algo que você lê aqui também. Ainda assim, é preciso exercitar a sensibilidade para acolher este estranho desejo de morrer, que pode vezes pode ser insuportável para quem ouve.


Nos termos de Karina Fukumitsu, psicóloga e suicidologista brasileira, o suicídio pode ser visto como um ato de comunicação. Como assim? Através da própria morte, a pessoa tenta comunicar algo que ela gostaria de ter conseguido comunicar em vida. Porém, ao morrer ela leva consigo o que deveria ter sido expressado e, de alguma forma, deixamos passar batido.


O desejo intenso de morrer diz respeito à uma condição de sofrimento insuportável. É nesse sentido que a palavra se revela como um recurso de garantia da vida. A escuta que acolhe, sem julgamentos ou atalhos emocionais (como elogios a aparência física, competências de trabalho ou aconselhamento religioso), mesmo sem tanta compreensão, mostra à pessoa que sofre que não está sozinha e que sua vulnerabilidade está sendo respeitada. A partir disso, o foco é conduzir para o devido tratamento psiquiátrico e psicológico.



Centro de Valorização da Vida - uma alternativa


O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuita pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail e chat 24 horas por dia, todos os dias da semana. ⠀ A ligação para o CVV é por meio do número 188, feitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular. Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais outras informações a respeito deste assunto.



  • Instagram
  • Facebook